AS DESEMPREGADAS


O espetáculo “As Desempregadas” ganha temporada gratuita nas ruas do Plano Piloto e São Sebastião de 1 a 16 de julho

O espetáculo “As Desempregadas” ganha temporada gratuita com apresentações no Plano Piloto e São Sebastião, de 1 a 16 de julho. Trata-se de um espetáculo irreverente, que leva para as ruas o tema da relação da mulher com o trabalho, o tempo, a amizade e a autonomia a partir de elementos acrobáticos, poéticos e musicais.

“As Desempregadas” teve seu processo de criação partilhado com mulheres integrantes do projeto sócio-afetivo “As Desempregadas da Casa Frida”, que tiveram acesso à vivência de elementos do Circo como a palhaçaria, acrobacia de solo e perna-de-pau. O projeto firmou parceria física e ideológica com a Casa Frida, Espaço Sócio Cultural, que trabalha questões de gênero e feminismo na RA de São Sebastião.

O espetáculo é aberto pelo cortejo de rua realizado por estas mulheres. “Elas estão no corre, elas estão na rua, brincando, cantando, dançando e saudando a força feminina trabalhadora e desempregada desse país. Uma gira sobre emprego, mulher e autonomia. E você? O que você sabe fazer?” Provoca a diretora e arte educadora, Ana Flávia Garcia.

“Além das questões artísticas e técnicas, tanto para enriquecer o processo de criação, quanto para instrumentalizar as participantes nessa perspectiva, o projeto traz uma analogia com diversos fundamentos do Circo relacionados a um modo de gestão diferenciado, onde se preza pela colaboração, pela responsabilização sobre o próprio fazer, pela gestão da autonomia e por um modelo de economia alternativo, multifuncional, que expande as perspectivas de sustentabilidade dessa jovem mulher.” Emenda a diretora.

“As Desempregadas” não aborda a palhaçaria clássica, ou tradicional, ou clownaria. O espetáculo se apropria das tecnologias do circo, agregadas durante as oficinas preliminares, para dar suporte a essas provocações: O que você sabe fazer de bonito, de sincero, de legítimo e que não serve pra ganhar um emprego? Quais as habilidades que foram cerceadas diante das aparentes exigências do contexto social e que diminuíram o tamanho dos seus sonhos e o seu tamanho? Aonde sua perspectiva se esbarra na perspectiva de outra, de outras mulheres? E porque não empreender em duplas, em trios, em trupes?

“É importante frisar que este vem sido um processo de criação gerador de uma estética absolutamente relacional e afetiva, no qual os encontros de partilha funcionam como provocadores de nossos desejos como criadoras. De certo modo, esta criação funciona como um espelho d´água, que reflete as muitas historias e experiências de todas as mulheres envolvidas, mesclando as autorias e pintando assim uma narrativa um tanto uníssona dessas vozes.” Revela Ana Flávia Garcia.

“Durante o processo na Casa Frida, levamos nos encontros tanto as produções criativas dos ensaios, quanto as provocações com as intérpretes, para que as participantes apresentassem suas intervenções estéticas e criativas no processo. Tivemos assim não apenas um feedback explícito e oral dessa criação, mas acima de tudo um aprendizado afetivo, estético e coletivo em versões sobre os temas abordados no espetáculo: emprego, desemprego, trabalho, tripallium, mulher, amor, mandinga, poder e autonomia.” Completa a diretora.

“As Desempregadas” une mulheres de diferentes origens, formações e classes sociais, que trazem suas histórias de vida para vivências que criam amálgamas que geram um espetáculo emocionante, uma mensagem para ser vivenciada de perto. O protagonismo perpassa por experiências que abordam o feminismo e o preconceito social e racial, que se fundem em um processo contínuo que desperta feridas e cicatrizes ao lado de risos e gargalhadas.

O projeto tem idealização da Casa Popular de Cultura de Rua Frida Kahlo, em parceria com a artista circence Maria Tavares, e conta com o apoio do FAC (Fundo de Apoio à Cultura) da Secretaria de Cultura do Distrito Federal. Todas as apresentações contam com intérprete em Libras.

Serviço

As Desempregadas na Casa Frida
Datas das apresentações gratuitas:

01/07 – Casa Frida
Endereço – Rua 30 – Casa 121 – São Sebastião – DF
horário: 21:30

08/07 – Parque Ana Lidia
Endereço – Parque da Cidade – Brasília – DF
horário: 11h00

09/07 – Feira da Torre de TV
Endereço – Eixo Monumental – Brasília – DF
horário: 16:30

11/07 – Rodoviária do Plano Piloto
Endereço – Eixo Monumental – Subsolo – Brasília – DF
horário: 17:00

12/07 – Centro Educacional São Francisco (Chicão)
Endereço – Quadra 08 – São Sebastião – DF
horário: 16:30

16/07 – Domingo no Parque
Endereço: Parque Ambiental do Bosque – São Sebastião
horário: 15:30

Entrada franca
Classificação indicativa: Livre
Informações: (61) 98561-9771
Ficha técnica:

Direção e Arte Educadora – Ana Flávia Garcia

Interpretes Criadoras – Maria Tavares e Julia Maia

Coordenação Geral – Maria Tavares

Coordenação de Produção e Gestão – Gisele Tressi

Assistente de Produção – Hellen Frida

Cenário – Bernardo Ouro Preto

Musicista – Maísa Arantes de Amorim

Preparadora Corporal – Beatrice Martins

Oficinas de Capacitação Circense – Antônia Vilarinhos, Marco Aurélio e Mandioca Frita

Fotos – Luz da Nuvem (Camila Oliveira e Emilly Siqueira)

Registro e Edição – Camila Oliveira

Designer gráfico – Gabriel Guirá

Assessoria de Imprensa – Renato Acha

Ficha técnica do Espetáculo ( Para as Mídias)

Direção e Dramaturgia – Ana Flavia Garcia

Interpretes Criadoras – Maria Tavares e Julia Maia

Cenário – Bernardo Ouro Preto

Musicista – Maísa Arantes de Amorim

Preparadora Corporal – Beatrice Martins

Produção Gisele Tressi

Assistente de Produção – Hellen Cristhyan da Casa Frida

Designer gráfico – Gabriel Guirá

Assessoria de Imprensa – Renato Acha

Anterior CINE COSPLAY NA FNAC
Próximo LANÇAMENTOS DE INVERNO