Câmara debaterá grades nos prédios do Cruzeiro dia 6


CLDF
O debate acontecerá na próxima terça-feira (6) | Foto: Rinaldo Morelli/CLDF

A Câmara Legislativa do Distrito Federal realizará uma audiência pública para debater a situação das grades dos edifícios residenciais do Cruzeiro Novo. Recentemente, a Justiça determinou ao GDF a retirada das grades, levando preocupação aos moradores da região. O debate acontecerá na próxima terça-feira (6), a partir das 19h, no auditório do colégio Ciman, na Octogonal.

O requerimento para realização da audiência pública foi aprovado na sessão ordinária da Câmara desta quinta-feira (1), na volta das atividades legislativas. A proposta é de autoria do deputado Raimundo Ribeiro (PPS) e outros distritais. O debate é aberto para todos os interessados na temática.

Liderança – O Partido dos Trabalhadores anunciou nesta quinta-feira que o deputado Chico Vigilante será o líder da legenda neste ano. A vice-liderança será exercida pelo deputado Wasny de Roure.

Economia – Durante a sessão desta quinta-feira, o terceiro-secretário da Câmara, deputado Raimundo Ribeiro (PPS), destacou a importância de projeto de resolução, de autoria da Mesa Diretora da Casa, extinguindo a verba indenizatória dos deputados distritais. Ribeiro disse que apesar da autoria da Mesa Diretora, a proposta será de todos os deputados. O projeto foi protocolado na tarde de hoje.

Na avaliação do deputado, a aprovação do projeto será uma demonstração inequívoca da afinação da Casa com o que está acontecendo no País. Para ele, no cenário de grave crise econômica atual, a sociedade exige a redução dos gastos públicos. Ribeiro também considerou que a iniciativa reforça a vanguarda do Legislativo local, que foi o primeiro do Brasil a acabar com as votações secretas.

Raimundo Ribeiro também criticou declaração do governador Rodrigo Rollemberg, que teria afirmado que sempre defendeu o fim da verga indenizatória. Na opinião do parlamentar, Rollemberg que pegar carona da iniciativa da Câmara Legislativa.

O deputado Chico Vigilante afirmou que o fim da verba indenizatória não pode ser o grande debate da Câmara. Para ele, os deputados devem priorizar o debate sobre a violência na cidade e nas escolas e a situação caótica dos hospitais. Vigilante destacou que a Câmara sempre devolve recursos de seu Orçamento para o GDF.

Ele adiantou ainda que vai fazer um estudo e apresentar à Mesa Diretora uma proposta de redução de 10% do Orçamento total do Legislativo.

A proposta representaria um corte de aproximadamente R$ 52,4 milhões na verga da Câmara Legislativa.

Anterior Drones ajudam a identificar focos de mosquito da dengue
Próximo MARIANA NOLASCO GRAVA “WHAT LOVERS DO” COM O BOYCE AVENUE