CRANBERRY PARA INFECÇÃO URINÁRIA


Os dias de sol intenso do verão são o momento ideal para se refrescar com banhos de mar, piscina ou cachoeira. Ficar dentro d’água é uma deliciosa maneira de afugentar o calor forte da estação mais esperada pelos brasileiros. Entretanto, permanecer o dia todo de biquíni, sunga e bermuda molhada pode facilitar o aparecimento de infecções urinárias, já que a umidade potencializa a proliferação dos micro-organismos causadores da doença.

A cistite é a infecção mais comum causada por bactérias e atinge a maioria das mulheres. Isso porque elas têm uretra mais curta, maior proximidade do ânus ao vestíbulo vaginal, além de ter alterações da acidez da flora vaginal. O pico de ocorrência ocorre no início da atividade sexual, durante a gestação ou após a menopausa e aproximadamente 40% das mulheres terá, pelo menos, um episódio de infecção urinária ao longo da vida. Para evitá-la alguns cuidados são essenciais como hidratação constante, higienização genital e esvaziamento da bexiga com periodicidade.

Infecções do trato urinários também estão entre as doenças mais comuns entre recém-nascidos e lactentes, só perdendo para enfermidades respiratórias. Cerca de 30% dos bebês hospitalizados apresentam esse quadro. O pediatra e alergista Paulo Eduardo Silva Belluco alerta que os pais devem ter mais cuidado no momento do desfralde, quando aumenta o risco de infecção, já que as crianças tem dificuldade de estabelecer uma rotina para ir ao banheiro e seguram a urina por muito tempo. “Quando a criança está com infecção, às vezes fica irritadiça, sem fome e emagrece facilmente.

Ela tem a sensação que precisa urinar com frequência, apesar de não necessariamente estar com a bexiga cheia. Além disso, sente dor ou ardor no momento da micção, pode ter febre ou calafrios, náusea, diarreia, vômitos, sentir desconforto na região pélvica e no abdômen. A urina fica com uma cor diferente, amarelo escuro ou esverdeada, ou mesmo ter presença de sangue e mau cheiro. Entre os tratamentos profiláticos, sugiro o cranberry, por exemplo, que pode ser consumido ao natural, em sucos ou em cápsulas manipuladas”, ressaltou o dr. Paulo Eduardo.

Também conhecido como oxicoco, o cranberry, originário dos Estados Unidos, tem era usado pelas tribos indígenas como alimento e medicamento. De acordo com a farmacêutica Leandra Sá, assessora técnica da Farmacotécnica, estudos mostram que o frutinho vermelho e bastante ácido, é rico em proantocianidina, 15 a 25 vezes mais potente do que a vitamina E, tem força para inibir a aderência de bactérias do tipo E.coli na mucosa da bexiga. “A fruta é rica em antioxidantes fenólicos, o que ajuda a combater infecções do trato urinário. Uma pesquisa feita em Harvard mostrou que o consumo diário de insumos à base de cranberry, durante um ano, reduziu a incidência de infecções urinárias em 35% dos casos”, ressaltou ela.

Da Redação  |  Foto Divulgação
Sugestões portalaquitem@gmail.com

Anterior CABARÉ DO LEONARDO E EDUARDO
Próximo PRESENTE SAUDÁVEL NO FIM DE ANO