DEBATE SOBRE AS REDES SOCIAIS


Um debate aprofundado sobre as redes sociais, Primeira edição do “dia D” traz a Brasília o sociólogo francês Frédéric Martel para falar sobre as diferentes identidades da internet

Brasília recebe, no dia 13 de maio, um dos maiores estudiosos das redes sociais na atualidade: Frédéric Martel, sociólogo, jornalista e especialista em indústria cultural. Autor de nove livros, Martel faz a cartografia da revolução digital e desenha a geografia das múltiplas internets e apresenta uma faceta inédita da rede mundial de computadores mesmo para quem trabalha no setor. Ele vem à capital federal participar do “dia D.”, uma realização do Coletivo d., que tem à frente as jornalistas e especialistas em mídias digitais Diana Leiko e Soraya Lacerda. O encontro será das 9h às 12h, no auditório da Aliança Francesa de Brasília, na 708/907 Sul. As inscrições custam R$ 80 e podem ser feitas pelo site eventodiad.com.br. Haverá tradução simultânea. As vagas são limitadas.

Com o tema “As diferentes identidades da internet”, o projeto Coletivo d. visa promover um debate qualificado e aprofundado sobre redes sociais no contexto da Filosofia, Sociologia, Estética, Antropologia e Psicologia. “No mundo veloz, efêmero, em que se fala tanto em dados, não sobra espaço para uma análise mais subjetiva do tema internet e redes sociais. O senso comum que permeia o ambiente digital é uma ação robotizada calcada no behaviorismo: estímulo e resposta”, afirma a curadora Diana Leiko.

Trata-se de um evento que se propõe a analisar de maneira mais ampla a cibercultura e está em sintonia com o debate contemporâneo relacionado com usos e funções da internet. Afinal, o marketing digital por si só não consegue responder à ampla inferência que faz ao cotidiano. “É preciso introduzir um evento no calendário brasileiro que trabalhe a cultura digital e a insira no debate não apenas acadêmico, mas que atinja um grande público”, enfatiza Soraya Lacerda.

Historicamente falando, o “Dia D” é considerado uma das datas mais importantes da Segunda Guerra Mundial. Depois, a expressão foi incorporada à nossa língua para designar um dia decisivo, o “Dia D”. “Gostaríamos que o nosso ‘dia D’ marcasse de alguma forma a história pessoal daqueles que puderem nos acompanhar nesse desafio. Um profissional que seja capaz de agregar à sua área de atuação outros conhecimentos será, sem dúvida, mais preparado para o mercado. E também para a vida”, finalizam as organizadoras.

Internet territorizalizada – Depois de uma pesquisa de cerca de quatro anos visitando quase 50 países, Frédéric Martel apresenta uma compreensão inédita e otimista sobre a internet, as redes sociais e as perspectivas para o futuro da rede, em seu livro “Smart – O que você não sabe sobre a internet”, lançado em novembro de 2015, no Brasil.

Além de perceber que a fragmentação e a regionalização são os principais traços da internet – chegando a afirmar que há tantas internets quanto países –, o autor defende que a rede e as pessoas nela envolvidas são muito mais smart do que se pode imaginar. Mostra ainda que, em vez de uma uniformização com a globalização da informação e da tecnologia, o que se vê são populações, governos e países moldando suas próprias maneiras de usar a internet para formatos que melhor lhes sirvam.

Durante o “dia D”, o sociólogo falará sobre o amplo retrato de como a internet está sendo usada no país – desde as preferências dos usuários até iniciativas públicas e particulares nessa área.

Frédéric Martel é doutor em Ciências Sociais e mestre em Ciências Sociais, Ciência Política, Direito Público e Filosofia. Trabalhou em jornais e revistas como Le Magazine Littéraire, Dissent, L’Express e The Nation. Além de jornalista e escritor, é pesquisador sênior do Institut de Relations Internationales et Stratégiques, de Zurique (Suíça).

Atualmente apresenta o programa France Culture Soft Power, na Radio France. Foi professor do Institut d’Études Politiques de Paris (Sciences Po Paris) e da École des Hautes Études Commerciales de Paris (HEC Paris). Também atuou como adido cultural da França nos Estados Unidos nos anos 2000, foi conselheiro do primeiro ministro francês Michel Rocard, na década de 1990, e professor convidado na Universidade de Harvard e na Universidade de Nova York.

Por aqui, Martel já publicou Mainstream: A Guerra Global das Mídias e das Culturas (Civilização Brasileira, 2010), livro no qual ele descreve a cultura de massas sob domínio considerável da produção norte-americana e discute a noção de alta e baixa cultura. É autor ainda de outros livros de sucesso, como Le Rose et le noir (Seuil,1996) e De la Culture en Amérique (Gallimard, 2006).

Coletivo d. – Projeto da Agência Atelier, o Coletivo d. tem foco na área de educação. Formado por Diana Leiko e Soraya Lacerda, jornalistas com experiência em marketing digital, com participação de colaboradores, o coletivo busca preparar empresas e profissionais liberais para as mudanças e desafios da comunicação digital.

Para isso, não só ministram treinamentos customizados de acordo com as necessidades do cliente, como realizam eventos cujo objetivo é promover uma reflexão sobre os impactos na sociedade a partir das novas plataformas digitais, buscando embasamento em outras áreas que não apenas o marketing.

Da Redação | Foto Divulgação
Sugestões portalaquitem@gmail.com

Anterior SAIBA COMO EVITAR A GRIPE A H1N1
Próximo PANAPANÃ - TEATRO PARA BEBÊS