FESTIVAL EXPERIA EM BRASÍLIA


Festival Experia ganha primeira edição em Brasília, na Caixa Cultural. Evento reúne expoentes da música de vanguarda brasileira, de 18 a 21 de agosto. Anelis Assumpção, Lirinha, Marcelo Jeneci, Ana Cañas, Ava Rocha e Karina Buhr estão entre os artistas que compõem a programação

Entre os dias 18 e 21 de agosto de 2016, a Caixa Cultural Brasília recebe a programação do Festival Experia 2016, projeto da Casa de Fulô Produções que traça um amplo panorama da música independente brasileira atual. O evento reúne compositores e artistas que pesquisam novos sons e dão “outras caras” à MPB. O evento acontece de quinta à sábado às 20h, e no domingo às 19h, com ingressos à R$ 10 (meia-entrada).

Na quinta, 18 de agosto, Anelis Assumpção recebe o pernambucano Lirinha, no show “Anelis Assupção e os Amigos Imaginários”. Sexta-feira, 19, é dia da cantora e percussionista Raquel Coutinho receber Marcelo Jeneci, no show “Mineral”. No sábado, 20, o som vanguardista de Ava Rocha se mistura à doçura de Ana Cañas no show “. Finalmente no domingo, 21, o músico carioca Mihay traz ao palco o show “Gravador e Amor” e convida a cantora performática Karina Buhr. O projeto traz intermediação do pesquisador musical Web Mota, criador do site Musicoteca, que tem sido uma das maiores vitrines da música independente na internet, desde os anos 2000.

Web Mota aparece no projeto falando dos shows sob o ponto de vista dos artistas, comentando a progressão evolutiva de suas obras e carreiras, além dos aspectos comerciais e da inserção no mercado independente das artes. Suas intervenções acontecem sempre no início e ao final dos shows, quando ele retorna para uma conversa com os dois artistas que se apresentaram na noite, em depoimentos breves.

Além de contemplar novos nomes da música brasileira, a curadoria do Festival foi desenhada no intuito de apresentar artistas que têm em comum o gosto por explorar os limites da música. O evento traz um desdobramento da cena dos anos 1990, quando artistas independentes descobriram a autonomia em trabalhar com novos estilos, misturar ritmos, abusar dos sintetizadores e inovar nas letras. Com esse novo panorama, a presença definitiva do espaço virtual e a abertura de novos canais de comunicação, artistas ousados como os selecionados para o Experia 2016, ganham cada vez mais espaço. O line-up do festival traz alguns dos principais nomes da cena independente brasileira.

LINE-UP
18/08: Anelis Assumpção recebe Lirinha
19/08: Raquel Coutinho recebe Marcelo Jeneci
20/08: Ava Rocha recebe Ana Cañas
21/08: Mihay recebe Karina Buhr

BREVES RELEASES DOS ARTISTAS

Anelis Assumpção (SP)

“Anelis Assumpção e Os amigos imaginários” é o segundo disco da cantora e compositora Anelis Assumpção, filha de Itamar, e esteve em algumas das principais listas de premiação do ano de 2014 sendo em alguns casos o primeiro lugar, além de dar à Anelis o prêmio de melhor interprete de 2014 pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte). Produzido de forma coletiva com alguns dos integrantes da banda, o álbum tem composições próprias da cantora, sendo três delas parcerias – “Devaneios” com Russo Passapusso, “Declaração” com Céu e Kiko Dinucci (que toca uma das guitarras marcantes da canção), e “Minutinho” com os veteranos parceiros Alzira Espíndola, Jerry Espíndola e ArrudA. O primeiro trabalho solo da cantora remete ao ano de 2011 e tem o título “Sou suspeita estou sujeita não sou santa”. Ela se apresenta sozinha desde 2007. Antes disso, Anelis fez carreira ao lado de Iara Rennó e Andréia Dias no grupo DonaZica.

Saiba mais: http://www.anelisassumpcao.com/

Lirinha (PE)

Nascido em Arcoverde (PE), José Paes de Lira – o Lira ou Lirinha – é um compositor, poeta e escritor que, ao lado de Noé Lira, Alberoni Padilha e Pastor, fundou em 1997 o projeto Cordel do Fogo Encantado, espetáculo musical inspirado na cultura popular pernambucana, com adições de pegada roqueira e trabalho de DJ. A partir de 1999 o grupo passa a ganhar grandes palcos musicais, com banda ampliada e público cada vez maior. A trajetória do Cordel vai até 2006, com lançamento do álbum “Transfiguração”. Depois disso, Lira volta aos palcos teatrais e também lança dois álbuns solo – “Lira”, em 2011, e “O Labirinto e o Desmantelo”, em 2015. A interface entre música e teatro e as inserção da cultura popular em trabalhos musicais de arranjos contemporâneos são traços seminais para conhecer o trabalho artístico de Lirinha.

Saiba mais: https://www.facebook.com/Lirinha-Jos%C3%A9-Paes-de-Lira-215759158436357/

Raquel Coutinho (MG)

Reconhecida por suas criações que exploram o universo percussivo e eletrônico, Raquel Coutinho lançou em 2015 seu 2º álbum, MINERAL. Inspirado na fusão da natureza com a cidade, a artista propõe um repertório autoral, que se apresenta sobre um rico universo de sonoridades, mesclando linguagem contemporânea e timbres da música afro-brasileira. O show é o resultado de uma criação coletiva de arranjos formatados por grandes músicos que também integram a banda, Marcos Suzano (percussão), Sacha Amback (teclados) e André Valle (guitarra).

Saiba mais:
https://www.facebook.com/raquelcoutinho.com.br/
http://www.casadefulo.com.br/pt/artistas/raquel-coutinho-

Marcelo Jeneci (SP)

Depois do enorme sucesso do seu primeiro disco “Feito pra acabar” (2010), com mais de 20 mil cópias vendidas, Marcelo Jeneci lançou, em 2013, seu mais recente e aguardado disco “De Graça”. Produzido por Kassin e co-produzido por Adriano Cintra, “De Graça” foi gravado, no Rio de Janeiro, nos estúdios Marini, Toca do Bandido, Cia dos Técnicos e Nas Nuvens com a participação mais que especial de Eumir Deoadato no arranjo de orquestra. Com iluminação de Ale Domingues e projeções de Carlos Pedrañez, Jeneci (voz, teclado, guitarra, violão e sanfona) sobe ao palco acompanhado por Laura Lavieri (voz), Regis Damasceno (baixo e violões), Ricardo Prado (guitarra e teclado), Richard Ribeiro (bateria) e Estevan Sinkovitz (guitarra e teclado).

Saiba mais: http://www.marcelojeneci.com.br/

Ava Rocha (RJ)

Ava Rocha apresenta um show que tem repertório fundamentado no seu primeiro álbum solo “Ava Patrya Yndia Yracema”, que mistura MPB com grooves afros, amazônicos, poesia, distorções, suavidade e improvisos. A voz rara, doce e poderosa é aditivada pela banda, formada por alguns dos principais músicos da cena carioca: Thomas Harres (bateria, percussões e mpc), Marcos Campello (guitarra), Eduardo Manso (synths e guitarra) e Felipe Zenicola (baixo elétrico), que recria para os palcos o disco lançado em março de 2015. Além das canções do disco, o repertório do show inclui outras canções, como “Iracema”, de Adoniran Barbosa e “Canoa, Canoa”, De Milton Nascimento e Fernando Brant.

Saiba mais: http://www.avarocha.com/

Ana Cañas (SP)

Ana Cañas está em turnê com o seu quarto disco, “Tô na Vida” (Som Livre/Guela Records). Produzido por Lúcio Maia (Nação Zumbi) em parceria com Ana e mixado por Mario Caldato Jr, esse é o primeiro disco totalmente autoral da carreira da cantora e traz parcerias com Arnaldo Antunes, Dadi, Pedro Luís e Lúcio. A cantora e compositora paulistana lançou, em 2007, o seu primeiro disco, “Amor e Caos”. Dois anos depois, lançou “Hein?”, disco produzido por Liminha e que contou com “Esconderijo”, canção composta por Ana, eleita entre as melhores do ano pela revista Rolling Stone. Ainda em 2009, grava, a convite do cantor e compositor Nando Reis, a bela canção “Pra Você Guardei o Amor”. Em 2012, Ana lança o terceiro disco de inéditas, “Volta”, com versões para Led Zeppelin (“Rock’n’Roll”) e Edith Piaf (“La Vie en Rose”), além das inéditas autorais “Urubu Rei” (que ganhou clipe dirigido por Vera Egito) e “Será Que Você Me Ama?”. Em 2013, veio o primeiro DVD, “Coração Inevitável”, registrando o show que contou com a direção e iluminação de Ney Matogrosso. No novo show, Ana Cañas (voz e guitarra) sobe no palco acompanhada por Lúcio Maia (guitarra), Fabio Sá (baixo) e Marco da Costa (bateria).

Saiba mais: http://www.anacanas.com.br/

Mihay (RJ)

Mihay é cantor e compositor carioca que transita entre diversos gêneros musicais, podendo ser considerado fruto da contemporânea “mestiçagem musical”. Seu álbum de estreia, “Respiramundo”, foi lançado em 2012 no Rio de Janeiro e teve turnê internacional em Lisboa, Roterdam e Amsterdã. Em 2014 fez turnê na Rússia, Portugal, França e Suíça com o parceiro João Donato. Em 2015, Mihay gravou seu 2º álbum, “Gravador e Amor”, que está sendo lançado entre julho e agosto de 2016. O trabalho tem notável lapidação sonora em suas composições, onde as influências do compositor são somadas às identidades musicais dos parceiros do disco: João Donato, Mariana Aydar, Tulipa Ruiz, Luisa Maia e Rômulo Fróes. A direção musical é de Gabriel Muzak. Com repertório de música brasileira mesclada à tecnologia digital de vanguarda, o show “Gravador e Amor” conta com Gabriel Muzak na guitarra e efeitos, Robson Riva na bateria e Guila no baixo.

Saiba mais: http://www.mihay.com.br/

Karina Buhr (PE)

Selvática é o terceiro disco autoral solo de Karina Buhr, na sequência de Longe de Onde (2011) e Eu Menti pra Você (2010). Lançado no final de 2015 em São Paulo e Nova Dehli (Índia), segue em turnê nacional. De 2011 a 2015 Karina circulou com os shows Longe de Onde e “Secos e Molhados” (com repertório do álbum homônimo de 1973) e em 2014 fez turnê européia passando pelo Palau de La Musica em Barcelona, Madri (El Matadero), Porto, Lisboa, Berlim e Paris.Em 2015, estreou na literatura com Desperdiçando Rima (editora Rocco), livro de poesias, crônicas e ilustrações. Foi autora convidada da FLIP 2015 para mesa com Arnaldo Antunes e mediação de Noemi Jaffe. Atualmente apresenta o Sarau Desperdiçando Rima, espetáculo de poesia e música baseado no livro. Karina começou a tocar percussão e cantar em 1992 no maracatu Piaba de Ouro, integrando depois o maracatu Estrela Brilhante do Recife. Foi integrante da banda Eddie e participou de muitos projetos de outras bandas e artistas como Mundo Livre S/A, Chico Science e Nação Zumbi, DJ Dolores, Antônio Nóbrega, Erasto Vasconcelos, Naná Vasconcelos, Mestre Ambrósio, Cidadão Instigado, Bonsucesso Samba Clube, bandinha de pífanos Zabumba Véia do Badalo, Marina Lima e muitos outros. Em 1997 criou a banda Comadre Fulozinha e gravou os discos “Comadre Florzinha” (1999), “Tocar na Banda” (2003) e “Vou Voltar Andando” (2009).

Saiba mais: http://www.karinabuhr.com.br/

SERVIÇO – FESTIVAL EXPERIA 2016

Data: 18 a 21 de agosto de 2016, de quinta a domingo
Horário: às 20h (de quinta à sábado) e às 19h (no domingo)
Local: Teatro da CAIXA (SBS Quadra 4 Lotes 3 e 4 – Edifício anexo à matriz da Caixa)
Valores de ingressos: R$20 (inteira) e R$10 (meia entrada). Estudantes, professores, funcionários e clientes CAIXA, pessoas acima de 60 anos e doadores de item solicitado no mês.
Classificação indicativa: 12 anos
Duração dos shows: 1h30
Lotação: 406 lugares
Informações: (61) 3206-9448
Produção: Casa de Fulô Produções (Coordenadora de Produção Anamaria Rigotto – Rio de Janeiro)

Da Redação | Foto Divulgação
Sugestões portalaquitem@gmail.com

Anterior DESAFIO PARA CORREDORES DE RUA
Próximo ICONILI EM DOCUMENTÁRIO NO SESCTV