FESTIVAL NAVE SOUTO


Festival Nave Souto aterrissa no Canteiro Central. Produtores culturais e artistas da cidade se unem para realizar uma grande festa beneficente, que terá renda revertida para as famílias dos músicos Gaivota Naves e Pedro Souto

A primeira edição do Festival Nave Souto, que acontece no dia 10 de junho, no Espaço Cultural Canteiro Central (SCS quadra 3 bloco A) celebra o amor e a vontade de viver. A iniciativa nasce com a necessidade de arrecadar verba para as famílias de dois grandes músicos da cena brasiliense – Pedro Souto e Gaivota Naves.

No início do ano, Gaivota Naves teve um acidente de colisão frontal com um carro que avançou a sua pista na contramão. Este acidente provocou diversos machucados na face e crânio da artista, que já foi submetida a três cirurgias e ainda espera algumas estruturas ósseas cicatrizarem para realizar uma cirurgia de reconstrução nasal em agosto.

Em meio a todo esse cenário de recuperação da Gaivota, o mundo da música sofreu mais um baque: no final de abril, o baixista Pedro Souto sofreu um aneurisma que infelizmente o levou a óbito no dia 4 de maio. O festival surgiu então para arrecadar recursos que possam minimizar os inúmeros gastos, além de tentar aliviar a dor do luto e ser uma linda homenagem ao músico Pedro Souto.

Inspirado nas coisas que compartilhamos com Pedro e Gaivota, produção e programação musical contam com a contribuição de diversos amigos e artistas de um dos baixistas mais influentes da atual geração.

Festejaremos também a recuperação da Gaivota Naves, que agora está retornando oficialmente aos palcos. Em lançamento de seu projeto solo, apresenta composições próprias, de amigos e afetos.

Pedro era atualmente baixista das bandas Almirante Shiva, Rios Voadores, Joe Silhueta e Judas. Esta última vai tocar no evento em formato integral com o baixista Fernando Rodrigues (banda Pé de Cerrado) substituindo Pedro.

Os membros das bandas Rios Voadores, Almirante Shiva e Joe Silhueta se reúnem para o festival Nave Souto em uma só banda – O Grogue e a corajosa participação de Marcelo Moura (Rios Voadores) nos baixos. O repertório será composto de músicas que o Pedro amava e composições autorais dos grupos.

Outra grande atração é a banda Cassino Supernova, que lançou Pedro, ainda adolescente, na cena brasiliense, e retorna aos palcos para o festival em formação original, com Carlos Beleza nos baixos. O palco também estará repleto de apresentações de bandas amigas: Tertúlia na Lua, Consuelo, Komodo, Vintage Vantage e Judas.

DJs e espaços culturais apoiam o festival

Já nas pickups, Djs de diversos estilos se reúnem na Pista Naves Astrais para fazer uma grande festa. A lista conta com o Dj Pezão do Criolina, LindaGreen, Karla Testa, Bibis Vargas (MS), Elefunk e Sacolão Beats (SP).

A programação musical no intervalo das bandas no Palco Grogue conta com discotecagem dos irmãos Breno Brites e Bruno Prieto (Bílis Negra e Sala Fumarte), Mond, Mulher Tâmara, Scarlet (Coletivo Primitivas) e As Bergamotas. As projeções são por conta dos Vjs Mari Mira e Aníbal que garantirão muita luz e inspiração.

A Sala Fumarte, um espaço onde Pedro e Gaivota fizeram todas suas gravações no último ano, está entrando como parceira do projeto e vai gravar todos os shows. O Espaço Cultural Canteiro Central também apoia o evento, abrindo a casa para fazer uma linda festa de celebração à vida.

Bandas

Judas é uma fusão melodiosa da viola caipira com o pop-rock urbano, influenciada pela aridez e a solidão do Cerrado. Além de ser uma conjunção de músicos experientes e de donos de trajetórias sonoramente diversas. São eles: Adalberto Rabelo Filho (vocal), Fábio Miranda (viola caipira), Carlos Beleza (guitarra), BC Araújo (guitarra e bandolim), Hélio Miranda (bateria) e Pedro Vaz (viola caipira e percussão). E teve como baixista o músico Pedro Souto.

O Grogue surgiu da vontade de celebrar o que o Pedro Souto foi em vida. E para honrá-lo, integrantes das bandas Almirante Shiva, Joe Silhueta, Rios Voadores e Cassino Supernova se reuniram e vão apresentar um repertório inédito com algumas versões de músicas que influenciaram a carreira de Pedro e de projetos que ele fez parte. O Grogue é Carlos Beleza (guitarra e vocal), Marlon Túgdual (bateria e vocal), Gaivota Naves (vocal), Marcelo Moura (baixo), Guilherme Cobelo (violão e vocal), Tarso Jones (teclado) e conta com participações de: João Victor Canizares (vocal) e Hélio Miranda (bateria).

Tertúlia na lua é composta por Christian Caffi (Guitarra e Voz), e os irmãos Thierry Sacramento (Baixo) e Jones Sacramento (Bateria). Power trio de rock psicodélico experimental do Gama (DF). Tem como característica um som cremoso e transcendental, com influências que vão do tropicalismo ao mangue beat, da música brega ao stoner rock.

Consuelo é o alter ego de Claudia Daibert e é sua mais nova imagem musical. Destila sua alma cigana através dos ritmos latino-americanos, folk espanhol, rock e experimentações nos arranjos. Seu timbre certeiro se une ao baixo de Vavá Afiouni, ao violão de João Ferreira, aos sopros de Esdras Nogueira, à guitarra de Marcus Moraes e à bateria de Thiago Cunha.

Lançada no final de 2016, Galopardo é formada por Vitor Fernandes (guitarra e vocal), Pedro Lacerda (baixo e vocal), Gabriel Migão (guitarra) e Hélio Miranda (guitarra e vocal). Seu estilo e referências partem do blues, e descem as corredeiras da música brasileira passando pela correnteza do rock clássico setentista até desaguar no mar da música moderna.

Komodo, trio brasiliense, habita um subsolo de um bar na Asa Norte. Seus integrantes são Daniel Grilo (guitarra e vocal), Ric Abad (baixo) e Everton Souza (bateria). São adeptos do Mitsuplik funk – um som muito específico caracterizado por um baixo espancado em slaps frenéticos, uma batera colada com esse baixo com muito groove e peso, uma guitarra funkeada e suja e um vocal potente e podre.

Em mais uma de suas metamorfoses, renascida, Gaivota Naves retorna mais desbundada que nunca, em estado de espírito e em estado de despeito. A nave desafia o asfalto, desvenda a vida, desvenda a morte, em um show de assombros poéticos em formato acústico, acompanhada pelos parceiros das suas duas bandas – Guilherme Cobelo (Joe Silhueta) e Marcelo Moura (Rios Voadores).

Vintage Vantage é um trio instrumental formado por Gabriela Brandão (piano), Lucas Pacífico (guitarra) e Renan Magão (bateria). Tem como maiores influências o rock progressivo e a música brasileira. Misturando ritmos e melodias, a banda busca um som autêntico e visceral. O EP “Neblina” ficou em 22° lugar na lista dos 100 melhores discos brasileiros do ano de 2016 pelo site Rockinpress.

Serviço

Data: 10 de junho de 2017
Hora: 15h
Local: Espaço Cultural Canteiro Central – SCS quadra 3 bloco A

Palco Grogue

O GROGUE (Almirante Shiva, Joe Silhueta e Rios Voadores)

CASSINO SUPERNOVA
CONSUELO
JUDAS
GAIVOTA NAVES
KOMODO
VINTAGE VANTAGE
GALOPARDO
TERTULIA NA LUA

Pista Naves Astrais

Bibis Vargas (MS)
Criolina (Pezão)
Elefunk
Karla Testa
LindaGreen
Sacolão Beats (SP)

Pista Grogue

Mond
Mulher Tâmara
Scarlett
Bílis Negra
As Bergamotas

Anterior DANI MACHADO NO VENÂNCIO
Próximo ORQUESTRA ARGENTINA