GLICEMIA: O FIM DAS PICADAS


O fim das picadas: digital influencer testa novo aparelho que revoluciona medição de glicemia

Marina de Barros Collaço, autora do livro “Diabética Tipo Ruim: o lado emocional que precisa ser falado” usou o revolucionário aparelho FreeStyle Libre, da Abbott e dá todas as dicas para quem quer se livrar de vez das indesejáveis picadas nos dedos.

Os constantes furos nos dedos já estão com os dias contados para os diabéticos. Isso porque, foi lançado no dia 2 de junho, uma revolucionária tecnologia para a medição da glicemia. Trata-se do FreeStyle Libre, um dispositivo que pode ser usado por qualquer portador de diabetes, tanto dos tipos 1 e 2, como gestacional, Lada e Mody. O aparelho promete trazer uma melhor qualidade de vida para o diabético.

“Um avanço nesse processo doloroso e chato da medição constante é realmente uma conquista maravilhosa e promissora. Sinto que estamos todos no caminho certo para um bom controle do diabetes. Hoje, minha mãe é capaz de medir minha glicemia sem ao menos me acordar durante a madrugada. Basta ela pegar o aparelho e escanear o sensor. Isso traz muito mais comodidade para mim e uma tranquilidade para a minha mãe, que antes não era possível”, alegra-se.

Marina é diabética Tipo 1 desde os 15 anos e, atualmente, abraçou a missão de disseminar informações relevantes sobre as novidades para o tratamento da doença através do seu blog e página no Facebook. “Eu faço oito picadas nos dedos por dia, para tentar ter um bom controle do diabetes”, comenta. Só assim, a digital influencer e escritora, consegue monitorar o nível de açúcar no sangue.

Sensor do FreeStyle Libre ativado
Sensor do FreeStyle Libre ativado

Tecnologia a favor do emocional

Há três anos, a jovem criou um blog na Internet para relatar seus desafios diários de ter que conviver com a doença (www.diabeticatiporuim.com.br). Em maio deste ano, Marina lançou seu primeiro livro de crônicas, que retrata o lado emocional da doença onde muitas vezes é negligenciado por médicos e também por familiares do diabético. O sucesso do seu trabalho chamou a atenção da multinacional Abbott, que fez questão de convidá-la para testar a nova tecnologia.

“Medir a glicemia da forma tradicional e controlar a doença envolve muito o lado emocional. Você precisa parar as suas atividades para medir, tomar insulina, parar, pensar se você precisa se alimentar naquele momento ou não. A única forma de manter um bom controle do diabetes é, inevitavelmente, medir a glicemia muitas vezes ao longo do dia é cansativo, e isso significa ter os dedos furados o tempo todo”, explica.

“A maioria dos diabéticos acaba não fazendo a medição da glicose por conta dos furos nos dedos. Seja por vergonha, dor, incomodo ou até mesmo, preguiça. A não medição aumenta o risco de desenvolvimento de doenças relacionados ao diabetes, como: a perda da visão, neuropatias, paralisia dos rins, infarto e derrames, sem contar nas tão amedrontadoras amputações dos membros. “Isso é realmente alarmante”, justifica.

O fim das picadas

O Freestyle Libre tem um sensor do tamanho de uma moeda de R$ 1, que fica “colado” na pele por 14 dias. “Você mal sente que ele está no seu braço. Com o leitor, bem parecido com um glicômetro tradicional, você simplesmente o aproxima do sensor e ele faz a leitura do valor da sua glicemia naquele momento. É realmente tudo o que sonhávamos a vida toda. É o fim dos furos nos dedos”, comemora. A grande novidade do aparelho está em realizar o controle glicêmico de forma indolor, rápida e discreta.

Com o aumento do número de medidas ao longo do dia, o tratamento médico passa a ser totalmente personalizado para cada paciente, segundo seus índices glicêmicos. O sensor também gera gráficos que podem ser baixados para o computador do médico no momento da consulta.

Todas as dicas e o passo a passo para a instalação dos sensores do Freestyle Libre encontram-se em seu canal no YouTube (https://www.youtube.com/c/diabeticatiporuim). Enquanto que as fotos durante esse processo estão em sua página no Facebook (https://www.facebook.com/diabeticatiporuim). A compra do aparelho pode ser feita através do site da Abbott (https://www.freestylelibre.com.br/).

Sobre Marina Barros

Marina de Barros Collaço sempre foi apaixonada pelas palavras. Descobriu o diabetes tipo 1 aos 15 anos de idade e desde então, sempre que pode, fala muito sobre a sua doença abertamente. Usuária de bomba de insulina e adepta a todo tipo de tecnologia ela é super antenada em todas as novidades do mercado. É formada em Publicidade, mas descobriu seu verdadeiro amor na fotografia. Autora do Blog Diabética Tipo Ruim ela divide seu tempo entre criar novos textos e viver por aí tornando suas experiências em narrativas de sucesso na internet.

www.diabeticatiporuim.com.br
facebook.com/diabeticatiporuim
instagram.com/diabeticatiporuim

Da Redação | Foto Divulgação
Sugestões portalaquitem@gmail.com

Anterior CONFIRA O CLIPE DE OS GONZAGAS
Próximo LEGION EM MAIS DE 125 PAÍSES