HAPPY HOUR DO VENÂNCIO SHOPPING


Nesta quarta (26/4), Leonel Laterza leva o melhor da MPB à Happy Hour do Venâncio Shopping

A bela voz de Leonel Laterza é atração, nesta quarta-feira (26/4), às 18h, na Happy Hour do projeto Venâncio Shopping. Acompanhado pelo mestre violonista Paulo André Tavares, ele apresenta repertório que inclui “Falando de amor”, de Tom Jobim; “Medo de amar”, de Vinicius de Moraes; “Januária”, de Chico Buarque; “Serrado”, de Djavan; e “A vizinha do lado”, de Dorival Caymmi, entre outras pérolas nacionais. O show será na praça de alimentação do Piso Térreo, com entrada franca e classificação indicativa livre.

“Este show é uma trilha por obras marcantes da nossa MPB, com leituras feitas especialmente para voz e violão”, define o intérprete. Mineiro de Uberaba, Leonel Laterza vive em Brasília há vários anos. Sua experiência como cantor da noite ajudou a alicerçar a carreira e formar o seu trabalho. Influenciado pela bossa nova, pelas grandes vozes da MPB e pelo jazz, Leonel Laterza mostra recursos que permitem a ele visitar, de maneira particular, os mais variados gêneros musicais. Já se apresentou ao lado de grandes nomes da nossa música, como Rosa Passos, Roberto Menescal, Fátima Guedes, Sueli Costa, Zé Luiz Mazziotti, Simone Guimarães, Sérgio Santos e Ellen Oléria, dentre outros.

Autor de dois CDs – “Esmeraldas”, de 2006, e “Guardados”, de 2011 –, ele recebeu por duas vezes o reconhecimento de melhor intérprete do Prêmio Sesc de Música Tom Jobim, nos anos de 2011 e 2013. Forma, com o violonista Paulo André Tavares e pianista Daniel Baker, o Cais Trio, que gravou DVD, em 2015, com as participações de Ellen Oléria e Simone Guimarães.

Serviço

Happy Hour com Leonel Laterza, acompanhado de Paulo André Tavares (violão)
Data: quarta (26/4)
Horário: 18h
Entrada: gratuita
Local: Venâncio Shopping, Praça de Alimentação do Piso Térreo – SCS Quadra 8
Informações: (61) 3208-2000
Informações para a imprensa – Célia Curto (99298-4309 e curtocelia@gmail.com)

Anterior ESTREIAS NOS CINEMAS DO DF
Próximo MARX WILLIAN NO BOTECO DO RISO