AGORA 30 MINUTOS PARA SAIR


Deputado comemora sanção de lei que amplia tempo para saída de estacionamento rotativo

O deputado Bispo Renato Andrade (PR) foi à tribuna da Câmara Legislativa na tarde desta terça-feira (2) para comemorar a sanção de uma lei de sua autoria que amplia de 15 para 30 minutos o limite de tolerância para a saída de estacionamentos rotativos no Distrito Federal. “Essa lei vai beneficiar principalmente idosos, pessoas com deficiência e pais com crianças, que muitas vezes não conseguem deixar o estacionamento dentro dos 15 minutos de tolerância que vigoravam. Na verdade, a concessão de mais tempo deveria ser uma questão de consciência dos empresários, mas fico feliz com a sanção de mais uma lei em benefício dos consumidores”, afirmou.

A nova lei não muda a tolerância inicial de 15 minutos sem que o consumidor pague pelo estacionamento. O que muda é a tolerância após o pagamento do ticket, agora com tempo dobrado em relação à norma anterior. De acordo com a lei, são obrigados a respeitar a nova regra shoppings, mercados, hospitais e aeroporto.

Defesa de árvores na Asa Sul – O deputado Wasny de Roure (PT) levou ao plenário a reivindicação de moradores da quadra SQS 207 contra a derrubada de árvores na região para a construção de empreendimentos. “A comunidade está mobilizada em defesa daquela área verde, que o governador e sua família conhecem muito bem, pois residem nas redondezas”, observou o parlamentar. Wasny disse que irá apresentar uma moção ao GDF solicitando o atendimento do pleito da comunidade.

Desemprego no DF – Cerca de 20% da população do Distrito Federal está desempregada. Os dados foram apresentados pelo deputado Chico Vigilante (PT), em seu comunicado na tribuna. “São 400 mil trabalhadores sem emprego em Brasília, pessoas desesperadas por não conseguirem sustentar suas famílias. Enquanto isso, temos um governo que não emite alvarás de funcionamento nem de construção, fazendo com que muitas empresas se mudem para Goiás”, reclamou.

Insegurança no Paranoá – O deputado Rodrigo Delmasso (Podemos) criticou a falta de segurança no Paranoá. “Estive com lideranças da região e há uma sensação geral de insegurança. Há falta de efetivo policial na área, e também faltam atividades culturais e esportivas para ocupar a juventude”, afirmou o distrital. Wellington Luiz (PMDB) concordou: “Nem mesmo os enfermeiros e médicos do programa Saúde da Família estão atendendo a região por falta de segurança pública”.

Hospitais – O deputado Wasny de Roure relatou problemas enfrentados em três hospitais do Distrito Federal. “No Hospital do Gama, o pronto-socorro tem 59 leitos, mas atende 115 pacientes. No Hospital de Sobradinho, a unidade neonatal está interditada por vazamento de esgoto. E na Unidade de Pronto Atendimento da Vila Colina, em Sobradinho, falta transporte para as equipes de Saúde da Família”, apontou.

Albergue cancelado – O cancelamento da abertura de um albergue que iria abrigar uma unidade de acolhimento na QNR 2 de Ceilândia foi comemorada por Rafael Prudente (PMDB). “Hoje tenho que elogiar o governo por cancelar a abertura desse albergue e construir, em seu lugar, uma escola. É o desejo da comunidade expresso em audiência pública que realizamos aqui na Câmara Legislativa e que convenceu o governador a mudar os planos para aquele local”, disse.

Parcelamento de multas – A deputada Celina Leão (PPS) cobrou do Detran-DF a disponibilização de um aplicativo para permitir descontos no pagamento de multas. “O DF é a única unidade da Federação que não aderiu ao Sistema de Notificação Eletrônica, um aplicativo que avisa o motorista quando há aplicação de multa e permite o pagamento antecipado com 40% de desconto. Estamos procurando as instâncias competentes para garantir que o brasiliense também tenha esse direito, que já é comum para todos os demais brasileiros”, defendeu.

Anterior PROGRAMAÇÃO PARA A CIDADE
Próximo LEI DOS PUXADINHOS DA ASA NORTE