Saúde supera 14 mil cirurgias realizadas pelo SOS DF


Daniel da Costa comemora: “Com tanta gente precisando, é muito bom saber que podemos ter um atendimento de qualidade” / Foto: Breno Esaki/Secretaria de Saúde do DF

Hospitais da rede pública têm registrado atuação estratégica e eficiente no atendimento ao público

O número de cirurgias realizadas pela Secretaria de Saúde, por meio da força-tarefa criada pelo Governo do Distrito Federal, chegou a 14.682. O quantitativo é referente à produção de 14 hospitais da rede pública de saúde, que atuam de forma estratégica para aumentar o número de procedimentos realizados e beneficiar a população, em especial os pacientes que esperam há anos pelas intervenções.

Os dados, relativos aos 81 dias de governo, situam o Hospital de Base, com 2.520 cirurgias, como o primeiro colocado no ranking das unidades que mais operaram. Em seguida, com 1.329 procedimentos, vem o Hospital Regional do Gama e, em terceiro, o Hospital Regional de Taguatinga, com 1.289.

Equipe atenciosa

Uma das mais recentes beneficiadas pelo SOS DF Saúde é a comerciante Sandra Duarte, 49 anos, moradora de Samambaia. Depois de escorregar em casa e quebrar o pé, ela foi levada ao pronto-socorro do Hospital Regional de Taguatinga (HRT) e atendida poucos instantes depois no centro cirúrgico. “Na situação em que eu estava, me falaram que era caso de urgência”, conta. “Fui atendida muito bem. Os médicos e enfermeiras foram muito atenciosos. Agora, estou me recuperando muito bem. ”

Na avaliação da comerciante, as ações adotadas no SOS DF Saúde são importantes para dar vazão à quantidade de pacientes que esperam na fila dos hospitais pelos procedimentos. “Achei muito boa essa ideia de fazer uma força-tarefa de cirurgias, porque são muitos na fila e as pessoas estavam precisando”, destaca.

Daniel da Costa, 30 anos, sentiu segurança ao saber que mais profissionais de saúde estavam disponíveis para atendê-lo quando fraturou o braço. Vítima de um acidente de carro na madrugada de 9 de março, Costa sofreu uma fratura exposta no cotovelo esquerdo. Apesar da situação, ainda encontrou forças para acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, que o levou ao HRT.

“Com tanta gente precisando, é muito bom saber que podemos ter um atendimento de qualidade”, analisa. “Fui muito bem atendido, graças a Deus. ” A previsão é de que ele talvez precise passar por uma nova cirurgia, em abril, pois o corte que sofreu no acidente foi profundo. “Estou me recuperando bem, e torcendo para me recuperar rápido depois da nova cirurgia”, ressalta.

* Com informações da Secretaria de Saúde

Confira o relatório com as ações diárias do SOS DF na áreas de obras.

Anterior 3 exercícios de Mindfulness para praticar com as crianças
Próximo Desigualdade de gênero no mercado de trabalho é debatida