SOS DF previne aparecimento de buracos com correção asfáltica


Na sexta-feira (05/04), o SOS DF concentrou os esforços na Estrada Parque Dom Bosco (DF-025), no Lago Sul. Equipes do Departamento de Estradas e Rodagem (DER) fizeram reparos em trechos com sinais de aparecimento de abertura durante operações tapa-buraco. Fotos: Renato Araújo / Agência Brasília

Equipes do Departamento de Estradas e Rodagem (DER) reparam trechos com sinais de futuro aparecimento de abertura durante operações tapa-buraco na capital

As equipes de manutenção asfáltica do Governo do Distrito Federal estão atentas para a formação de buracos nas pistas da capital. Diariamente, funcionários do Departamento de Estradas e Rodagem (DER) aproveitam o serviço de recapeamento para reparar trechos com sinais de futura abertura no asfalto. Assim, além de revestir as fendas no solo, o SOS DF promove conservação nas rodovias.

Encarregado de Reestruturação Asfáltica do DER, Adão Roque da Silva esclarece que olhares estão sempre atentos para áreas onde podem surgir novas brechas que causam transtornos aos motoristas brasilienses. “Já fazemos a correção quando há rachaduras em que é possível ver a argila vermelha da terra. Assim, evitamos que dois dias depois o problema apareça”.

Nesta sexta-feira (5/04), um grupo concentrou os esforços na Estrada Parque Dom Bosco (DF-025), no Lago Sul. Ali, segundo o administrador Rubens Santoro Neto, equipes monitoram o aparecimento de novos problemas e notifica os órgãos competentes no que chama de “trabalho de camaradagem” em todo o poder público. Desde o início da gestão, o governador Ibaneis Rocha (MDB) prioriza a integração.

A cuidadora de idosos Lenilsa Maria de Araújo, 29, mora em Águas Lindas (GO), na Região Metropolitana, e trabalha no Lago Sul. Todos os dias, ela passa cerca de duas horas no transporte público.

Da janela, ela diz que vê os feitos que considera importantes do SOS DF. “Quando eu passo, tudo já está feito. Isso é muito legal e importante porque resolve sem atrapalhar a vida de ninguém”, valoriza. Dona de casa, Maria Elisabeth de Souza, 63, reclama que, quando existentes, os buracos atrapalham o trânsito e estragam os veículos. Para ela, “é importante ver o imposto sendo revertido em melhorias” para os motoristas.

Equipes também passaram pela Estrada Parque Indústrias Gráficas (DF-011) e pelo trecho da Marinha da Estrada Parque Contorno (DF-001). Por dia, os esforços do SOS DF para recapeamento podem usar até 30 toneladas de materiais.

Conforme Adão Roque da Silva, o sucesso da operação tapa-buraco depende de bom trabalho. “Se apenas jogar a massa em cima da fenda não funciona, sai em dois dias. É preciso requadrar, definindo o espaço de reparo, e limpar o material solto. Assim a gente garante durabilidade”, esclarece.

Anterior 5 motivos para adotar processos corporativos mais humanizados
Próximo CLDF aprova nesta terça mais projetos relativos às mulheres