CAPITAIS DO BRASIL: LINHAS DO TEMPO IMPORTANTES DO PAÍS


Capitais do Brasil
Capitais do Brasil | Foto: Rayan Ribeiro

No Capitais do Brasil são três esquemas inseridos nos espaços sobre Salvador, Rio de Janeiro e Brasília.Eles complementam as fotos de Bento Viana e Åke Borglund e os poemas de Meimei Bastos, Lívia Natália e Eliane Marques

A exposição Capitais do Brasil proporciona uma viagem pela memória nacional. Linhas do tempo com acontecimentos de extrema importância para a história do país acompanham as fotos de Bento Viana e Åke Borglund, poemas e projeções em exibição no Museu Nacional da República até 6 de janeiro.

O primeiro marco histórico, inserido no esquema temporal na área da exposição dedicada à capital baiana, é a chegada dos portugueses ao Brasil, em 1500. A fundação da cidade de São Salvador da Bahia de Todos os Santos acontece 59 anos depois, por Tomé de Souza. Outros exemplos de momentos em destaque são o nascimento do poeta Gregório de Matos, conhecido como Boca do Inferno, e a primeira invasão holandesa.

No espaço dedicado à cidade do Rio de Janeiro, definida como capital a partir de 1763, são lembrados fatos como a vinda da família real para o país e a proclamação da República. Também há episódios como a morte de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, e a primeira greve em defesa da jornada trabalhista de 8 horas.

Em 1960, a sede dos três poderes é transferida para Brasília, a tão sonhada capital de Juscelino Kubitschek. No quarto ano após a inauguração da cidade, o presidente João Goulart é deposto durante o golpe militar. Em 68, Costa e Silva promulga o Ato Institucional nº 5, que autorizou o fechamento do Congresso Nacional.

Outros marcos de grande relevância para o país destacados no esquema são a saída do mapa da fome da Organização da Nações Unidas (ONU) e a criação do Bolsa Família.

Para conferir, basta ir ao Museu Nacional de terça a domingo, das 9h às 18h30. A entrada é gratuita.

Sobre a exposição

A colônia, o império e a república do país se unem na exposição. Até 6 de janeiro, o público pode transitar pela memória nacional ao conferir fotos de Bento Viana e Åke Borglund (parte do acervo de Mercedes Urquiza) na mostra Capitais do Brasil, que também conta com poemas e projeções.

Ela retrata as três cidades que já abrigaram a sede dos poderes do Brasil: Salvador, Rio de Janeiro e Brasília. A exposição promove experiências sensoriais e interativas ao público ao mostrar diferentes formas de enxergar o país e interpretá-lo. Para isso, os curadores Berttoni Licarião e André Honor propõem uma narrativa a partir de três elementos: água (Salvador), ar (Rio de Janeiro) e terra (Brasília).

Por acreditar que a arte pode exercer um poder transformador sobre as vidas das pessoas, a equipe da exposição Capitais do Brasil defende o direito do acesso à arte e à cultura como um direito humano. Por isso, a exposição apresenta-se ao público com classificação indicativa livre, acessibilidade e entrada gratuita, possível por meio da Lei de Incentivo à Cultura do DF (LIC) e patrocínio do Instituto NET Claro Embratel.

O projeto conduzirá, ainda, cerca de 3.000 estudantes de instituições da Rede Pública de Ensino do Distrito Federal à visitação, assim como centros de ensino especial e organizações de atendimento a pessoas com deficiência.

Serviço

Capitais do Brasil
Local: Museu Nacional da República (Eixo Monumental), Galeria do Térreo
Visitação: Até 6 de janeiro
Horário: Terça a domingo, das 9h às 18h30
Informações: (61) 3325-5220
Visitas escolares agendadas pelo telefone (61) 98350-1166
Site: www.capitaisdobrasil.com.br
Entrada franca
Classificação indicativa livre
Evento com acessibilidade em Braille, em LIBRAS e em Mobilidade
Este projeto é realizado com recursos da Lei de Incentivo à Cultura do Distrito Federal

Anterior DÓLAR FURADO BURGER LANÇA NOVIDADES NO SEU CARDÁPIO
Próximo COMIDA BOA E MUITO SAMBA NA VIRADA DE ANO DO BAR BRAHMA