CUMPRIMENTO DE METAS DE EDUCAÇÃO


Trabalhadores exigem cumprimento de metas do Plano Distrital de Educação

Em audiência pública realizada hoje (20), na Câmara Legislativa, trabalhadores da educação do Distrito Federal exigiram do governo o cumprimento das metas 17 e 20 do Plano Distrital de Educação (PDE). Como o autor da iniciativa do debate, deputado Wasny de Roure (PT), não pôde comparecer por problema de saúde, a audiência foi conduzida por seu colega de partido, deputado Chico Vigilante.

A meta 17 do PDE estabelece o alcance da isonomia salarial dos professores da rede pública com a média salarial dos demais servidores públicos de nível superior do GDF, além do oferecimento de um plano de saúde para os trabalhadores da educação. Já a meta 20 prevê que o GDF dobre o investimento em educação com relação ao PIB local, dos atuais 3,23% para 6,12%.

Jairo Mendonça, do Conselho de Educação do DF, criticou o governo por não executar as metas previstas no PDE. “Nossa luta é pela efetivação do plano aprovado por esta Casa. Infelizmente, o governo atual não valoriza a educação, tanto é que nem mesmo enviou um representante para este debate”, afirmou.

Representando o Sindicato dos Professores do DF (Sinpro), Júlio Barros apresentou números para ilustrar a disparidade salarial dos professores em relação a outras categorias. “Hoje, um médico recebe R$ 13,2 mil, um dentista recebe R$ 10,6 mil, um músico recebe R$ 10,2 mil e o professor, apenas R$ 5,2 mil. Temos o pior salário entre os profissionais de nível superior”, reclamou.

Segundo Barros, a média salarial dos servidores públicos de nível superior do GDF é de R$ 7,4 mil. “Apenas para entrarmos nesta média salarial, como prevê o PDE, precisaríamos de um reajuste de 84,97%. Mas nossa proposta para iniciar o diálogo com o governo é de um reajuste de 18%”, explicou. O sindicalista também observou que o auxílio alimentação dos professores é de R$ 394. “Três vezes menos do que o valor pago aos funcionários da Caesb”, completou.

Durante a audiência, vários trabalhadores da educação foram ao microfone em defesa da greve dos professores do DF. A categoria está em protesto contra o projeto de reforma da previdência e exige a execução das metas aprovadas no PDE. Ao final da audiência, o deputado Chico Vigilante disse que “estamos enfrentando uma tentativa de desmonte do serviço público, que só poderá ser barrada com a união organizada dos trabalhadores”.

Anterior PROFISSIONAIS VOLUNTÁRIOS
Próximo CRUZEIROS NO BRASIL