ESPETÁCULO “NÓS” NA CAIXA CULTURAL


Novo espetáculo do Grupo Galpão chega à Caixa Cultural Brasília. Espetáculo “Nós” comemora os 35 anos de história da companhia de teatro

A CAIXA Cultural traz para Brasília, até 3 de dezembro, o espetáculo Nós do mineiro Grupo Galpão. Pela primeira vez na cidade, a montagem debate questões do mundo contemporâneo como violência, intolerância e diversidade, a partir de uma dimensão política. Os ingressos já estão à venda na bilheteria por R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada).

Dirigida pelo ator e dramaturgo Márcio Abreu, o espetáculo comemora os 35 anos de história do Grupo Galpão. Segundo o diretor, buscar uma abordagem política num trabalho de criação é pensar não só no que dizer, mas como dizer. “Nesse sentido, a forma dos textos é tão fundamental quanto o conteúdo. Assim podemos encontrar uma zona de diálogo mais intenso entre nós e entre nós e o mundo lá fora”, completa Márcio.

Em cena, os atores Antonio Edson, Beto Franco, Eduardo Moreira, Júlio Maciel, Lydia Del Picchia, Paulo André e Teuda Bara preparam a última sopa, partilhando angústias, algumas esperanças e muitos nós. A plateia presencia situações de opressão e de convívio com a diferença, provocadas pelas relações de proximidade entre artista e espectador, ator e personagem, cena e plateia, público e privado e realidade e ficção.

A encenação afirma a convivência com o público como elemento dramatúrgico, e ao mesmo tempo, sua presença, como ato criativo. “O espetáculo somos nós, o Galpão, e nós, seres humanos e artistas de teatro”, explica o ator Eduardo Moreira.

O espetáculo

Marcio Abreu foi convidado, em 2014, para a direção de Nós. Na época, os atores se entregavam a exercícios solo, com o objetivo de contemplar desejos individuais e criar alternativas para um projeto coletivo. Assim que começaram os ensaios, em 2015, o diretor foi indagado sobre que tipo de espetáculo vislumbrava construir. A resposta foi direta e precisa: “um trabalho político”.

O grupo seguiu para uma dramaturgia própria, criada a partir de improvisos, tomando como tema a reação do coletivo de atores diante das pressões exercidas pelo mundo sobre cada um deles. Durante o processo, foi experimentado o significado de estar dentro e ser colocado para fora e vice-versa. O diretor provocou questões que foram fundamentais para definir qual caminho seguir na estruturação do texto e da encenação.

Marcio Abreu

Dramaturgo, diretor e ator, Márcio fundou a Companhia Brasileira de Teatro, sediada em Curitiba. Desenvolve projetos de pesquisa e criação de dramaturgia própria, releitura de clássicos e encenação de autores contemporâneos inéditos no país. Entre seus trabalhos recentes estão Vida (2010), Oxigênio (2010), Isso te interessa?(2011), Enquanto estamos aqui (2012) e Esta Criança (2012). Márcio também escreveu uma versão de Os três porquinhos para a Commedie Française e A história do rock por Raphaelle Bouchard (2012).

O diretor recebeu inúmeros prêmios e indicações como o prêmio Bravo!; o prêmio Shell; o Troféu APCA; o prêmio Governador do Estado, no Paraná; o APTR, e o Questão de Crítica. Em 2012, foi escolhido pelo jornal Folha de São Paulo como personalidade teatral do ano.

Serviço

Espetáculo: Nós – Grupo Galpão
Local: Teatro da CAIXA Cultural Brasília (SBS Quadra 4 Lotes 3/4)
Dias: 24 de novembro a 3 de dezembro de 2017
Horários: sexta-feira, às 20h; sábado, às 17h e 20h e domingo, às 19h
Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 16 anos
Duração: 90 minutos
Ingressos: à venda a partir de 18 de novembro | R$ 20 e R$ 10 (meia entrada)
Meia-entrada: estudantes, professores, funcionários e clientes CAIXA, pessoas acima de 60 anos e doadores de livros.
Capacidade: 406 lugares (8 para cadeirantes) | Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais
Bilheteria: de terça a sexta e domingo, das 13h às 21h, e sábado, das 9h às 21h. Contato: (61) 3206-6456

Ficha técnica

Elenco: Antonio Edson, Beto Franco, Eduardo Moreira, Júlio Maciel, Lydia Del Picchia, Paulo André e Teuda Bara
Direção: Marcio Abreu
Dramaturgia: Marcio Abreu e Eduardo Moreira
Cenografia: Play Arquitetura – Marcelo Alvarenga
Figurino: Paulo André
Iluminação: Nadja Naira
Trilha e efeitos sonoros: Felipe Storino
Assistência de direção: Martim Dinis e Simone Ordones
Preparação musical e arranjos vocais/instrumentais: Ernani Maletta
Preparação vocal e direção de texto: Babaya
Colaboração artística: Nadja Naira e João Santos
Assistência de figurino: Gilma Oliveira
Assistência de cenografia: Thays Canuto
Cenotécnica e construção de objetos: Joaquim Pereira e Helvécio Izabel
Operação e assistência de luz: Rodrigo Marçal
Operação de som: Fábio Santos
Assistente técnico: William Teles
Assistente de produção: Cleo Magalhães
Confecção de figurino: Brenda Vaz
Técnica de Pilates: Waneska Torres
Fotos de divulgação: Guto Muniz
Imagens escaneadas: Tibério França e Lápis Raro
Registro e cobertura audiovisual: Alicate Conteúdo Audiovisual
Projeto gráfico: Lápis Raro
Design web: Laranjo Design – Igor Laranjo
Direção de produção: Gilma Oliveira
Produção executiva: Beatriz Radicchi
Produção: Grupo Galpão

Anterior MELHORIA PARA OS PACIENTES COM CÂNCER
Próximo MOSTRA DE TECNOLOGIA NA CLDF