A Coletiva Teatro, grupo de cinco artistas-pesquisadores com sede na Universidade de Brasília, estreia seu primeiro espetáculo autoral no CCBB Brasília em abril. Após a temporada local, O Amor que Habito embarca para a sua estreia internacional na cidade de San Marcus, Texas, EUA a convite da Universidade Estadual do Texas.

O Amor que Habito cumpre sua temporada de estreia na Galeria 4 do Centro Cultural Banco do Brasil nos próximos dias 5 a 15 de Abril, de quinta a domingo, sempre às 20h30, com apoio do CCBB.

Este é um espetáculo sobre encontros com a alma em tempos de modernidade líquida… Sabe aquela voz dentro da sua cabeça? Aquela que fala sem parar? No chuveiro, no trânsito, na hora de dormir, ou num apartamento vazio? De onde será que ela vem? Por que ela não para quieta? Do que ela tem tanto medo? Que voz é essa que nos habita, nos desafia e nos encontra aonde quer que vamos? E quando habitamos um amor? Um porteiro viciado em café, um coveiro obstinado, uma senhorinha simpática e uma moça perdidamente apaixonada entrelaçam-se aos atores e seus encontros e desencontros amorosos. Na tentativa de tornar suas almas mais lúcidas diante do amor, aventuram-se a responder: Qual o amor que eu habito? Será que é tempo de amar?

O texto é autoral, processualmente concebido em coletivo e fruto da indagação inicial do grupo quanto a ideia de encontrar-se com sua alma na esfera do amor. Inspira-se em autores clássicos e contemporâneos que lidam com o amor e a existência como Arthur Schopenhauer em Da Morte e Metafísica do Amor, Zygmunt Bauman em Amor Líquido, Michael A. Singer em Alma Livre, José Saramago em As Intermitências da Morte e Luiz Felipe Pondé em Amor para Corajosos: Reflexões Proibidas para Menores.

A Coletiva Teatro é integrante do Grupo de Pesquisa Criação em Coletivo para a Cena da UnB (CRICOCEN-CNPq), com trabalhos premiados pela instituição. Desde sua fundação em 2015, dedica-se à pesquisa de modos de exploração, criação, pesquisa e produção cênicas que permeiam a coletivização de procedimentos. As pesquisas do grupo abarcam aspectos estéticos, poéticos, políticos e éticos destes modos de produção. Desenvolve trabalhos artísticos, formativos e acadêmicos com repercussão local, nacional e internacional. Após sua estreia no CCBB Brasília, O Amor que Habito embarca para a sua estreia internacional na cidade de San Marcus, Texas, EUA a convite da Universidade Estadual do Texas como parte da residência artística internacional do projeto de pesquisa Exercícios Interculturais de Criação em Coletivo, uma parceria da Coletiva com artistas-pesquisadores americanos.

Sobre a montagem, Mariana Borges, mestre em Psicologia Clínica e Cultura, afirma: “A Coletiva Teatro topou o desafio de falar sobre o amor que habitamos e, no encontro com a plateia, toca sobre estas questões intrigantes de uma forma dinâmica, curiosa, e profundamente delicada: como é a própria vida. Que possamos nos permitir o risco de mais este encontro e que ele gere muitas outras histórias.”.

O Amor que Habito

Local: CCBB Brasília – Galeria 4
Data: 5 a 15 de Abril
Dias e horários: Quinta a domingo, sempre às 20h30
Duração: 90 minutos
Classificação indicativa: 14 anos
Ingressos: Inteira R$20, Meia entrada R$10 (inclusive para clientes BB)

Ficha Técnica

Texto e Produção: Coletiva Teatro
Direção Geral: Nitza Tenenblat
Preparação de ator: Nei Cirqueira
Atuação: Jorge Marinho, Nei Cirqueira, Pedro Lopesi e Xandre Martinelli
Direção de Arte e Video Mapping: Thiago Sabino
Assistência de Direção de Arte: Fábio Rosemberg
Filmagem e Edição de Vídeo: Matheus Serafim
Assistência de Produção e Design Gráfico: Ana Sofia Macassi
Iluminação: Higor Filipe
Direção Musical, Composição de Trilha Sonora Original e Violão: Lucas de Campos
Piano: Guilherme Carvalho
Percussão: Matheus Ramos Técnico de Áudio: Glauco Maciel Costureira: Tânia Alves
Assessoria de Imprensa: Jorge Marinho
Apoio: CCBB, CEN-UnB, UnB/DEX/DPI e FAP-DF

Anterior ADAMASTOR PITACO FAZ SHOW NO 10º SALÃO DO ARTESANATO
Próximo O PORTEIRO: um final de semana de muita diversão e riso