A atividade física regular ajuda a evitar diversas doenças como atrofia muscular, fadiga, diabetes, hipertensão e obesidade

No próximo sábado (10/3), é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Sedentarismo. A data auxilia na conscientização da população quanto à importância de ter um hábito de vida saudável e ativo, com os benefícios dos exercícios para a saúde física e mental, melhor qualidade de vida e a prevenção à doenças.

“Sedentarismo é considerado a falta, ausência ou diminuição de atividade física ou esportiva, fazendo com que a saúde entre em declínio e o indivíduo ela fique mais suscetível ao surgimento de doenças. É importante que a introduza os exercícios de forma gradativa, a fim de prevenir lesões que possam ocorrer no período de adaptação. Procurar práticas prazerosas melhora a adesão à prática e os resultados são ainda melhores”, explica a Dra. Maria Isabel Siqueira, fisioterapeuta do Hospital Anchieta.

Os benefícios de praticar atividades físicas são os mais diversos possíveis, entre eles a melhora da circulação sanguínea; fortalecimento de músculos, ossos e articulações; redução de problemas cardíacos e respiratórios; controle de peso corporal; promoção de bem estar físico e mental; redução de açúcar no sangue, prevenindo ou controlando diabetes; diminuição da pressão arterial; melhora da postura corporal, sem dores musculares e articulares.

Como combater o sedentarismo

É importante adotar a mudança de hábito de vida, com a inclusão de modalidades como caminhada, natação, danças, ciclismo, hidroginástica e futebol. De acordo com a especialista, todos devem ser o mais ativo possível, com respeito às limitações causadas por avanço da idade ou doenças crônicas. Não há regras sobre a frequência exata, porém o ideal é fazer, no mínimo, 30 minutos de atividade diariamente, com alternância do tipo e da intensidade dos exercícios, sem sobrecarga muscular. Para isso, é importante fazer a avaliação e seguir as orientações médicas.

“Realizar pequenos exercícios auxilia no combate ao sedentarismo, como por exemplo, fazer alguns trajetos caminhando ao invés de usar o carro, subir escadas evitando o elevador e sair para passear com o cachorro. Isso ajuda a evitar diversas doenças como atrofia muscular, fadiga, diabetes, hipertensão, obesidade, osteoporose, depressão, infarto, baixa capacidade respiratória e câncer”, conclui a Dra. Maria Isabel.

Exercícios para melhorar a saúde

Caminhada – não exige muitos recursos e o tempo pode ser curto e progressivo. É necessário ter cuidado com o calçado, pois precisa ser confortável e o local sem muitos obstáculos para evitar o risco de quedas. Pode iniciar com pequenas distâncias e aumentar conforme sua tolerância, podendo inclusive realizar algumas corridas. A caminhada melhora a circulação sanguínea, o condicionamento cardiorrespiratório e a postura corporal; aumenta a frequência cardíaca e reduz o inchaço, a ansiedade e o estresse.

Natação – ótima atividade para pessoas que já apresentam predisposição a doenças respiratórias (rinites, sinusites, asmas e bronquites). Promove melhor condicionamento cardiorrespiratório, fortalecimento e alongamento muscular e diminuição do colesterol.

Yoga – ideal para pessoas que procuram atividades de baixo impacto e mais tranquilas. Auxilia no emagrecimento; melhora a flexibilidade, a postura, a concentração e o equilíbrio; protege a coluna; diminui a pressão arterial e o açúcar no sangue, além de prevenir dores articulares.

Danças – atividade dinâmica e pode ser realizada sozinha ou em grupos. Promove melhora da coordenação motora, da autoestima; flexibilidade; reduz o estresse; aumenta os níveis de hormônios responsáveis pela sensação de bem-estar e auxilia no emagrecimento.

Ciclismo – atividade de baixo impacto articular. Melhora o equilíbrio e a imunidade; diminui o estresse, o risco de infarto, a pressão arterial e o colesterol.

Anterior Sábado Mais Mulher no Metrópole Shopping!
Próximo Metrô-DF começa a instalar novo sistema de radiotelefonia